Cartão certo

A Receitas Boa sobre finanças em geral é aqui !
Cartão de crédito pré-pago: afinal, como funciona?

O funcionamento de um cartão de crédito pré-pago é bastante parecido com o de um cartão tradicional. A aparência física é bastante similar e pode ser usado basicamente da mesma forma: fazer compras online, assinar serviços pré-pagos ou tomar um café na padaria — desde que, é claro, o estabelecimento aceite pagamentos com a bandeira do cartão em questão.

A única diferença é que o pré-pago não oferece um limite de crédito. As compras que o usuário pode fazer são limitadas ao valor que ele já depositou no cartão por meio de uma recarga que pode ser feita pela internet e paga com um boleto bancário ou com cartão de débito ou crédito.

Neste artigo, você conhecerá as vantagens do cartão de crédito pré-pago e verá um passo a passo para que ele seja utilizado da melhor forma possível. Confira!

Quais são os tipos de cartão de crédito pré-pago?

cartão de crédito pré-pago

Antes de entrarmos mais a fundo no assunto, é preciso destacar que existem dois tipos principais de cartões pré-pagos: os nacionais e os internacionais. Como o próprio nome indica, o nacional só pode ser carregado em reais e não é aceito fora do país. O internacional, por sua vez, pode ser carregado em moeda estrangeira e é aceito fora do país.

O cartão pré-pago internacional é uma excelente opção para quem está pensando em fazer uma viagem para outro país. Além de representar uma segurança maior, também evita surpresas com a cotação do dólar.

Isso porque na modalidade tradicional de cartão de crédito pagamos o dólar de acordo com a cotação do dia do fechamento da fatura, e não do dia em que a compra foi realizada, o que pode causar certa confusão.

Quais são as vantagens de usar o pré-pago?

A primeira grande vantagem associada à utilização do cartão pré-pago é a segurança. O usuário pode facilmente cancelar o cartão em caso de perda, roubo ou furto.

É claro que, normalmente, é cobrada uma taxa para tirar a segunda via do cartão, mas, pelo menos, não há um prejuízo total, como acontece quando se trata de dinheiro vivo.

Os riscos de lidar diretamente com o papel-moeda não se limitam aos casos de roubo. Podemos pensar também naqueles R$ 10 que caíram no vão do elevador ou, ainda, naquela nota de R$ 50 que foi lavada ao ser esquecida no bolso da calça.

Como não há uma operação de crédito propriamente dita, já que o usuário está gastando um dinheiro que já foi depositado na conta do cartão, qualquer pessoa pode ter um pré-pago, mesmo quem constar nos cadastros de serviços de proteção ao crédito. Isso permite que muitos consumidores possam realizar compras por meio da internet e assinar serviços pré-pagos.

Os cartões pré-pagos também costumam ser empregados na gestão da mesada de crianças e adolescentes, pois podem ser uma boa ferramenta de educação financeira.

Essa é uma forma de introduzir o recurso em uma fase em que o jovem ainda não tem maturidade financeira para lidar com um cartão de crédito, que pode trazer sérias consequências financeiras quando utilizado da maneira errada.

Por fim, não poderíamos deixar de mencionar que o cartão pré-pago pode ser adquirido mesmo que o usuário não tenha uma conta no banco vinculado a ele. Isso é uma vantagem para quem não quer ficar preso a contratos e pacotes de produtos financeiros.

Como utilizá-lo na prática?

cartão de crédito pré-pago

Agora que você já sabe o que é e como funciona um cartão de crédito pré-pago, é hora de explicarmos o passo a passo sobre como escolher o cartão ideal e utilizá-lo da melhor forma possível. Confira nos próximos tópicos!

1. Escolha bem a bandeira

Procure identificar quais são as bandeiras de cartões de crédito mais aceitas nos estabelecimentos nos quais você costuma realizar compras. As maiores empresas fornecedoras de cartões de crédito tradicionais também costumam oferecer opções de cartões pré-pagos.

2. Escolha um plano ideal para o seu perfil

Assim como qualquer outro tipo de serviço, o cartão de crédito pré-pago disponibiliza uma ampla gama de facilidades que podem ser contratadas. Isso significa, é claro, que existem planos com tarifas diferentes.

É normal que as taxas relativas ao pré-pago sejam mais elevadas do que as do cartão tradicional. Além da mensalidade e da taxa de adesão, saiba que, geralmente, também é preciso pagar uma taxa toda vez que o usuário realiza uma recarga ou faz um saque.

3. Entenda as limitações do pré-pago

O cartão de crédito pré-pago só permite que usuário gaste o dinheiro que já foi depositado. Ou seja, é preciso deixar claro que não é possível fazer compras parceladas. Portanto, se essa é a expectativa do consumidor, suas intenções serão frustradas.

4. Inverta o processo do cartão de crédito

No caso de um cartão de crédito tradicional, fazemos compras ao longo de todo o mês e, depois, pagamos por todas elas em uma única fatura.

Quando se trata de um cartão pré-pago, no entanto, temos que nos planejar para fazer justamente o contrário, ou seja: realizar a recarga em determinado período do mês e fazer o monitoramento do saldo até a próxima recarga.

5. Controle os gastos

Um passo muito importante e que não pode ser ignorado quando estamos lidando com cartões pré-pagos é realizar o controle dos gastos. Já pensou na possibilidade de sentar para comer em um restaurante e, após a refeição, descobrir que não tem saldo suficiente para pagar a conta?

Para que isso não ocorra, é preciso adquirir o hábito de anotar todo e qualquer gasto realizado por meio do cartão e sempre subtraí-los do valor total correspondente à recarga. Também é importante incluir nessa conta os descontos relacionados às taxas e aos encargos cobrados pela instituição financeira.

Como você viu, a versão pré-paga funciona mais como dinheiro do que como um cartão de crédito propriamente dito. Além de não conseguir parcelar as compras, o usuário também não pode realizar algumas transações — como alugar um carro, por exemplo — que exigem a versão tradicional.

De qualquer forma, o cartão de crédito pré-pago pode ser uma excelente opção para quem quer economizar, mas precisa da segurança de poder contar com um recurso a mais em casos de emergência.

Este post foi útil para você? Então, compartilhe-o com os seus amigos nas redes sociais!

 

Compartilhar!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.